Operadora do Costa Concordia admite que comandante errou

Em comunicado, empresa afirma que Schettino cometeu 'erros de julgamento' e deixou de respeitar procedimentos de navegação

iG São Paulo |

A Costa Crociere, operadora do navio Costa Concordia, que naufragou na costa italiana , admitiu neste domingo que o comandante da embarcação cometeu erros de julgamento e deixou de respeitar procedimentos internos e normas internacionais, o que contribuiu para o acidente ocorrido na última sexta-feira. Em um comunicado postado em seu site na internet, a companhia manifestou sua “profunda dor pelo terrível incidente”.

Entenda o caso: Navio naufraga e deixa mortos na Costa da Itália
Passageiros:
53 brasileiros estavam a bordo do Costa Concordia, que naufragou na Itália

“Há indicativos de que o comandante cometeu erros de julgamento, os quais tiveram gravíssimas consequências”, afirma o comunicado da companhia. “E parece que suas decisões na administração de emergências não seguiram procedimentos em curso da Costa Crociere e que, em alguns casos, extrapolam as normas internacionais”, completou a empresa.

Segundo a companhia, Francesco Schettino, que foi preso e interrogado neste fim de semana, integrava os quadros corporativos desde 2002 e foi submetido a um “contínuo programa de atualização e treinamento, tendo cumprido com êxito todos as exigências”.

A nota foi divulgada pela companhia neste domingo, mesma data em que as equipes de resgate confirmaram mais duas mortes em decorrência do acidente. Foram encontrados os corpos de dois homens idosos, um espanhol e outro italiano, o que elevou para cinco o número total de vítimas fatais da tragédia. Até este sábado, as autoridades contavam mais de 15 pessoas ainda desparecidas.

O acidente com o navio Costa Concordia ocorreu próximo à ilha de Giglio, por volta das 21h30 de sexta-feira (13) no horário local (18h30 em Brasília). O cruzeiro já havia inclinado cerca de 20 graus quando as pessoas começaram a deixar a embarcação em botes salva-vidas ou nadando. O presidente da operadora de cruzeiros, Gianni Onorato, declarou que o navio teria se chocado contra uma rocha gigante.

O consulado do Brasil em Roma informou ontem que 53 brasileiros estavam a bordo e todos foram resgatados com vida. Os passageiros começaram a retornar neste domingo ao Brasil, mas parte deles só deve desembarcar em solo brasileiro nesta segunda-feira.


    Leia tudo sobre: costa concordianavionaufrágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG