Operação russa na Inguchétia deixa 12 guerrilheiros mortos

Moscou, 25 dez (EFE).- Uma operação antiterrorista na república da região da Inguchétia, no Cáucaso Norte e vizinha da Chechênia, deixou hoje 12 guerrilheiros mortos, informou o Serviço Federal de Segurança (FSB, antigo KGB).

EFE |

O FSB lançou na quarta-feira uma operação especial para capturar um grupo de guerrilheiros que se encontrava nas imediações de uma região rural perto da fronteira com a Chechênia, segundo a agência "Interfax".

"Durante a operação antiterrorista, 12 membros de grupos armados ilegais foram mortos e dez armas de fogo foram apreendidas" e grande quantidade de munição, afirmou um porta-voz do FSB.

Nos últimos meses, as forças de segurança russas lançaram várias operações especiais na Inguchétia, palco de vários atentados e atos de violência contra as autoridades, a Polícia e os militares russos.

Em meados de outubro, vários blindados russos foram atacados com lança-granadas por um grupo de guerrilheiros, incidente que resultou na morte de vários soldados russos.

Perante a escalada de violência na república, o chefe de Estado russo, Dmitri Medvedev, decidiu substituir o anterior presidente da Inguchétia, Murat Zyazikov, ex-general dos serviços secretos russos, que enfrentava um amplo movimento opositor.

Segundo fontes opositoras locais, desde que Zyazikov assumiu a direção da república, em 2002, mais de 700 pessoas foram mortas e outras 158 estão desaparecidas.

Em seu lugar, Medvedev nomeou Yunus-bek Yevkurov, prestigioso militar que desempenhava o cargo de chefe adjunto do Estado-Maior da Circunscrição Militar de Volga e Urais.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, afirmou alguns dias atrás que a ameaça terrorista ainda não desapareceu, e pediu aos serviços de segurança que se mantivessem em alerta. EFE io/ab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG