Uma operação da polícia na Europa levou à prisão de 75 pessoas suspeitas de tráfico humano, acusadas de levar principalmente curdos do Iraque para a União Européia. Acredita-se que a quadrilha era formada principalmente por iraquianos que, além de curdos, transportavam ilegalmente pessoas vindas do Afeganistão, da China, da Turquia e de Bangladesh para os países do bloco.

A agência de polícia da União Européia, a Europol, descreveu a iniciativa - chamada de "Operação Bagdá"- como um dos maiores esforços coordenados contra o tráfico de pessoas no mundo.

A operação envolveu cerca de 1,3 mil policiais e prendeu os suspeitos em nove países - Bélgica, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Noruega, Holanda, Suécia e Grã-Bretanha.

Pela Turquia
Acredita-se que os imigrantes podem ter pago à quadrilha cerca de US$ 18 mil cada um para serem levados do Iraque para os países integrantes do bloco europeu.

Além da Europol, a operação teve o apoio da Eurojust, entidade do bloco europeu responsável pela cooperação no setor de Justiça.

"Todos os suspeitos estariam envolvidos no tráfico de um grande número de imigrantes ilegais para e dentro da União Européia", disse uma mensagem conjunta divulgada pela Europol e pela Eurojust.

Os imigrantes geralmente viajavam para a União Européia em barcos e ônibus lotados ou até em aviões, passando pelo Iraque e pela Turquia.

Um dos principais integrantes do grupo, na França, teria transportado cerca de 280 pessoas entre julho de 2007 e janeiro de 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.