Operação contra laços entre PKK e DTP detém 47 na Turquia

Istambul, 17 abr (EFE).- Pelo menos 47 pessoas foram detidas hoje em uma nova operação policial na Turquia contra a suposta vinculação entre o ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e o legal Partido da Sociedade Democrática (DTP, nacionalista curdo), informou a televisão turca NTV.

EFE |

Como tinha ocorrido na operação da terça-feira em 12 províncias da Turquia, que concluiu com 53 detenções, esta nova atuação policial foi contra a suposta "estrutura urbana" do PKK, considerado terrorista por Turquia, União Europeia (UE) e Estados Unidos.

As detenções ocorreram nas cidades de Istambul, Esmirna, Ancara e Batman.

Enquanto isso, a sede provincial do DTP em Istambul - cidade onde vivem vários milhões de curdos - foi revistada hoje durante cerca de seis horas.

Segundo o secretário provincial do DTP em Istambul, Halil Aksoy, a Polícia revistou os quatro andares da casa e o telhado, além de ter verificado documentos e arquivos guardados na sede do partido.

A operação foi especialmente contra as juventudes do partido curdo, para tentar provar os laços entre o DTP e o PKK, cujos atentados, normalmente, o primeiro se nega a condenar.

Aksoy disse não ter conhecimento sobre as pessoas das quais a Polícia buscava informação.

O dirigente curdo condenou a revista e acusou o Governo do primeiro-ministro turco, o islamita moderado Recep Tayyip Erdogan, de estar "por trás" desta operação, porque ainda não "engoliu" o resultado das eleições de 29 de março, nas quais o partido governamental sofreu um retrocesso de apoio entre os curdos.

Além disso, o Exército turco informou hoje que, nas duas últimas semanas, 21 militantes do PKK morreram em combates com as Forças Armadas. Três soldados turcos também perderam a vida em confrontos durante a operação. EFE amu-jk/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG