ONU vê exagero em ameaça nuclear do Irã

VIENA - O Irã não irá produzir armas nucleares em breve, e a ameaça representada por seu programa atômico tem sido exagerada, disse o diretor- geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU) em entrevista a um órgão especializado.

Redação com agências internacionais |

Contrariando as suspeitas ocidentais, Teerã diz que seu programa nuclear se destina apenas à geração de eletricidade com fins pacíficos.

Falando ao Boletim dos Cientistas Atômicos, Mohammed El Baradei afirmou que não há provas concretas de que a República Islâmica mantenha atualmente um programa de armas nucleares.

"Mas de alguma maneira muita gente está falando sobre como o programa nuclear do Irã é a maior ameaça ao mundo. De muitas maneiras, acho que essa ameaça tem sido exagerada", afirmou, ressalvando que há uma preocupação quanto às futuras ambições nucleares iranianas, e cobrando mais transparência do país.

"Mas a ideia de que acordaremos amanhã e o Irã terá uma arma nuclear é uma ideia que não é apoiada pelos fatos que vimos até agora", disse El Baradei, 67 anos, que deixará o cargo em novembro, após ocupá-lo por 12 anos.

A entrevista, concedida em julho, foi divulgada na noite de terça-feira.

Na semana passada, um relatório da AIEA corroborou parcialmente informações ocidentais de que o Irã teria estudado formas de produzir armas nucleares, embora a agência diga repetidamente que não há provas concretas de que o país tenha tal intenção.

* Com Reuters

Leia mais sobre programa nuclear

    Leia tudo sobre: irãprograma nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG