ONU vai estabelecer plano de combate à crise dos alimentos

O secretário-geral da ONU, Ban-Ki-moon, e os dirigentes das 27 agências e organizações das Nações Unidas estabelecerão na segunda-feira e na terça-feira em Berna um plano de combate para controlar a crise causada pela alta dos preços dos alimentos básicos.

AFP |

A ONU e suas agências devem agir com urgência para socorrer as populações mais pobres e explorar soluções em curto prazo, atuando como mediador entre os partidários do protecionismo e os defensores da abertura do mercado, sem se esquecer dos militantes a favor dos biocombustíveis e seus opositores.

A crise alimentar mundial e as possíveis soluções serão o centro das conversas que estão programadas para segunda e terça-feira, a portas fechadas, na sede da União Postal Universal (UPU) em Berna, anunciou a ONU.

Os primeiros resultados desta reunião serão divulgados na terça-feira pela manhã durante uma entrevista coletiva com o secretário-geral da ONU.

Ban Ki-moon estará acompanhado da diretora executiva do Programa Alimentar Mundial (PAM), Josette Cheeran, o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, o diretor da Organização para a Agricultura e a Alimentação (FAO), Jacques Diouf, e o presidente do Fundo Internacional para o Desenvolvimento e a Agricultura (FIDA), Lennart Bäge.

A alta dos preços dos cereais gerou uma situação de extrema gravidade em 37 países e originou diversos distúrbios causados pela fome, alertou a FAO.

Na sexta-feira, Ban Ki-moon fez um apelo desesperado a favor de uma "ação imediata" para enfrentar "uma verdadeira crise mundial".

dro/cl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG