ONU teme que gripe suína se torne pandemia

Nações Unidas, 27 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou hoje preocupação com que o foco de gripe suína que se propagou nos últimos dias por um crescente número de países possa se transformar em uma pandemia de consequências ainda desconhecidas.

EFE |

"Preocupa-nos que este vírus possa causar uma nova pandemia de gripe, que poderia ter efeitos leves ou poderia ser potencialmente severa", disse Ban, em declaração à imprensa.

O principal responsável das Nações Unidas disse que ainda não se sabe como esta situação evoluirá, mas destacou como preocupante que a maioria dos mortos registrados no México fosse adultos jovens e saudáveis.

Por isso, disse que a ONU respondeu com "rapidez e eficiência" ao surgimento deste foco de gripe, que se transformou em "uma das maiores preocupações da comunidade internacional e das Nações Unidas".

"Esta é a primeira vez que se coloca à prova a preparação para enfrentar pandemias realizada pela comunidade de nações nos últimos três anos", disse.

Ban disse que se encontra em contato permanente com a máxima responsável da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, que iniciou o plano de emergência do órgão, com sede em Genebra.

O comitê de emergência da OMS deve decidir ainda hoje se o alerta subirá à fase quatro ou inclusive à cinco (de um total de seis), na qual a transmissão da doença já seria entre pessoas de diferentes países.

"Caso enfrentemos uma pandemia, é preciso ser solidários", disse Ban, para quem este fato mostra novamente a interdependência do mundo atual e a obrigação de coordenar esforços entre nações para responder aos desafios comuns.

Nesse contexto, pediu que os países pobres não sejam afetados de uma maneira desproporcional pela gripe suína, da maneira que foram na crise alimentar, na crise financeira ou na crise energética.

Por isso, afirmou que o Banco Mundial (BM) e as agências humanitárias e de desenvolvimento da ONU se mobilizarão para garantir que os Estados que precisarem de ajuda para responder a uma epidemia realmente a recebam.

Ban disse que se manterá em contato com os responsáveis da OMS para poder ajudar o organismo e, através dele, os países afetados no que precisarem.

"Até o momento, a resposta foi um bom exemplo de cooperação multilateral, e confio em que continuará assim", acrescentou.

As autoridades mexicanas, o país mais afetado pela gripe suína, calcularam hoje em 149 o número de mortes que podem ter sido causadas pela epidemia que afeta o país, à espera de realizar os exames definitivos nesses casos. EFE jju/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG