ONU se diz 'cada vez mais preocupada' com programa nuclear do Irã

AIEA diz ter nova evidências, fornecidas por vários países, de que governo iraniano promove 'atividades nucleares não declaradas'

iG São Paulo |

A agência nuclear da ONU está “cada vez mais preocupada” com evidências de que o Irã continua desenvolvendo um programa de armas nucleares, segundo um relatório obtido nesta sexta-feira por agências internacionais.

De acordo com o documento da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), “vários países membros” forneceram novas evidências de que o Irã desempenha “atividades nucleares não declaradas, nas quais estão envolvidas organizações militares”.

No relatório, escrito pelo diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, a agência reiterou seu pedido para que o Irã cumpra com todas as suas obrigações "para estabelecer uma confiança em nível internacional no caráter exclusivamente pacífico de seu programa".

Os Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de tentar desenvolver bombas sob o disfarce de seu programa nuclear. O país nega as acusações e afirma que sua tecnologia nuclear tem o objetivo de produzir eletricidade para atender sua crescente demanda doméstica.

Na semana passada, o Irã anunciou ter iniciado a transferência de centrífugas de enriquecimento de urânio para um bunker subterrâneo perto da cidade de Qom.

"A transferência das centrífugas (da usina de) Natanz para Fordo (perto de Qom) está em andamento, sob total observação dos padrões", disse Fereydoun Abbasi-Davani, chefe da agência nuclear iraniana, à rádio estatal Irib. "As instalações de Fordo estão sendo preparadas, e algumas centrífugas foram transferidas."

O governo iraniano anunciou em junho que iria levar a sua produção de urânio enriquecido para Fordo, desafiando os apelos internacionais para que o país abandone o programa de enriquecimento de urânio.

AP
Foto de setembro de 2007 mostra centrais de enriquecimento de urânio em Natanz, no Irã

O Irã só admitiu a existência da instalação subterrânea de Fordo em setembro de 2009, depois de ela ser revelada por agências ocidentais de inteligência. A colocação das centrífugas em um bunker escavado em uma montanha pode assegurar maior proteção em caso de ação militar dos EUA ou de Israel contra o programa nuclear iraniano.

A denúncia de países ocidentais sobre a construção secreta da usina de Fordo provocou um novo capítulo na grave crise entre o Irã e a comunidade internacional, o que provocou em julho de 2010 a um endurecimento das sanções econômicas e políticas contra Teerã.

Em fevereiro, o Irã confirmou à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que controla as atividades de enriquecimento de urânio no país, que a central de Fordo receberia as primeiras centrífugas no verão.

Com Reuters, AFP e AP

    Leia tudo sobre: irãonuusina nuclearprograma nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG