O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) apoiou o pedido feito nesta quinta-feira pelo secretário-geral, Ban Ki-Moon, para reforçar a segurança da missão da instituição no Afeganistão. O pedido de mais recursos para segurança acontece um dia após um ataque do Talebã contra uma pensão da ONU em Cabul que matou cinco funcionários da Organização e deixou outros nove feridos.

Segundo Ban, os funcionários em território afegão são considerados um "alvo leve" pelo Talebã.

De acordo com ele, 27 empregados civis da ONU foram atacados e mortos no último ano e mais da metade deles estavam em missões no Afeganistão e no Paquistão - os dois lugares "mais perigosos do planeta" para os funcionários da Organização, segundo Ban.

Em uma entrevista após a reunião com o Conselho, o secretário-geral afirmou que a missão vai continuar, mas com segurança reforçada.

Entre as mudanças para incrementar a segurança, Ban afirmou que a hospedagem dos funcionários será mais concentrada, ou seja, eles estarão abrigados em menos locais, o que facilita o monitoramento e vigilância. Além disso, haverá um foco especial em áreas fora de Cabul, onde a segurança é "claramente insuficiente".

Autoridades da ONU afirmaram que há planos para transferir agentes de segurança de outras missões para o Afeganistão e também para contratar novos guardas localmente.

Segundo o correspondente da BBC em Washington Richard Lister, Ban Ki-Moon deverá dar mais detalhes sobre o reforço da segurança de funcionários civis em território afegão durante um discurso para a Assembleia Geral nesta sexta-feira.

Leia mais sobre: Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.