ONU reconhece que ajuda não chegou a todos os desabrigados no Haiti

Nações Unidas, 26 jan (EFE).- O subsecretário-geral da ONU para assuntos humanitários, John Holmes, reconheceu hoje que, duas semanas depois do terremoto que devastou o Haiti, a ajuda ainda não chegou a todos os desabrigados.

EFE |

Segundo o diplomata britânico, foram distribuídas quase dez milhões de porções de comida e a água potável chegou a quase todos os afetados, mas estes esforços não foram suficientes para enfrentar a magnitude das necessidades.

"Em geral, progredimos, mas também somos conscientes de que há muito o que fazer para chegar a todos que precisam de assistência", disse Holmes em entrevista coletiva.

A ONU calcula que dois milhões de haitianos precisam de alimentos, mas apenas 500 mil receberam porções até o momento.

Segundo o responsável humanitário da ONU, as 67 equipes de resgate enviadas para o Haiti após o terremoto estão retornando aos poucos para seus países de origem, mas algumas ficarão mais tempo para ajudar na recuperação dos cadáveres que estão sob os escombros.

A saída dos socorristas marca o fim da fase de crise e a entrada no período de recuperação, no qual a ONU e ONGs devem aumentar suas operações para atender os quase três milhões de desabrigados pelo terremoto.

Holmes destacou os esforços do Programa Mundial de Alimentos (PMA), a maior agência humanitária da ONU, para fazer chegar ao Haiti toneladas de alimentos e comidas preparadas.

"Sabemos hoje que muita gente não recebeu nada", apontou Holmes, ao insistir nas condições difíceis para a distribuição da ajuda.

No entanto, segundo Holmes, o acesso dos desabrigados a fontes de água potável melhorou nos últimos dias e, por isso, a situação neste aspecto "é menos crítica, apesar de não estar resolvida".

O diplomata britânico também expressou preocupação com a higiene e a condição dos serviços de saúde para as milhares de pessoas refugiadas em acampamentos improvisados.

Há cerca de 40 mil tendas de campanha a caminho do Haiti, mas 200 mil são necessárias para abrigar 1 milhão de pessoas que estão sem-teto, ressaltou.

"Temos reuniões com o Governo para identificar os melhores lugares para montar estes acampamentos. A decisão deve ser tomada com cuidado", advertiu, ao reiterar que a situação está calma, apesar de alguns incidentes em pontos de distribuição de ajuda.

A ONU recebeu até agora metade dos US$ 575 milhões pedidos à comunidade internacional para o Haiti. Contando com as doações prometidas, a proporção aumenta para 60%.

O terremoto de 7 graus na escala Richter que devastou a área metropolitana da capital haitiana, Porto Príncipe, no último dia 12 deixou cerca de 150 mil mortos, segundo números do Governo do Haiti.

EFE jju/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG