ONU recebe respostas de Israel e palestinos sobre conflito em Gaza

Nações Unidas, 29 jan (EFE).- A ONU recebeu hoje respostas de Israel e da Autoridade Nacional Palestina (ANP) às explicações pedidas pelo organismo sobre a investigação para determinar se houve crimes de guerra durante a ofensiva militar israelense contra o Hamas ocorrida há um ano na Faixa de Gaza.

EFE |

A Assembleia Geral das Nações Unidas tinha dado às duas partes o dia de hoje como prazo para comunicar ao secretário-geral do organismo, Ban Ki-moon, que investigações fizeram sobre o conflito.

Fontes diplomáticas israelenses disseram à Agência Efe que enviaram ao escritório do secretário-geral um documento no qual explicam "com detalhes" as investigações sobre o conflito em Gaza e sobre como funcionam os mecanismos de supervisão do Exército de Israel.

As mesmas fontes ressaltaram que o documento "não é uma resposta" ao polêmico relatório da comissão da ONU presidida pelo juiz sul-africano Richard Goldstone, no qual se acusa Israel e o movimento islamita Hamas de terem cometido crimes de guerra durante os 22 dias de conflito.

"Poderíamos apresentar a resposta a Goldstone mais adiante. O que este documento explica são as investigações que fizemos", disseram.

O representante palestino na ONU, Riad Mansur, confirmou que entregou um dossiê sobre Gaza ao chefe de gabinete do secretário-geral, Vijay Nambiar.

"A parte palestina cumpriu com o prazo pedido", afirmou o diplomata na saída da reunião.

Mansur explicou que a documentação detalha o funcionamento da comissão de cinco juízes nomeada na semana passada pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, que ficou encarregada de investigar a atuação do Hamas durante o conflito.

Também há um relatório preliminar sobre os fatos investigados pela nova comissão, apesar de "poucos dias em andamento".

O representante palestino reconheceu que a documentação não inclui informações sobre as possíveis investigações do Hamas.

A Assembleia Geral apoiou o relatório elaborado por Goldstone, que investigou as circunstâncias do conflito armado ocorrido na Faixa de Gaza e seus arredores entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU, com sede em Genebra, pediu à Assembleia para que analise as acusações de crimes de guerra antes de enviar o caso ao Tribunal Penal Internacional de Haia.

Cerca de 1.400 palestinos, em sua maioria civis, e 13 israelenses morreram durante a ofensiva lançada por Israel contra o Hamas em Gaza. EFE jju/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG