ONU realiza reunião com grupo de trabalho para enfrentar crise dos alimentos

Nações Unidas, 12 mai (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, comandou hoje a primeira reunião do grupo de trabalho da organização para enfrentar a crise causada pela alta do preço dos alimentos.

EFE |

A reunião, realizada a portas fechadas no escritório do secretário-geral, teve como ponto principal o desenvolvimento da maneira que será feita a estratégia para responder à crise, explicou a porta-voz da ONU, Michèle Montas, no fim do encontro.

"Sabemos que esta estratégia precisa de ações a curto e longo prazo, como assistência alimentícia, proteção social e estímulos à agricultura, que ajudarão a suportar as conseqüências negativas da crise para os mais atingidos", explicou.

Montás disse que os presentes na reunião concordaram em apresentar o plano na cúpula sobre o assunto convocada pela ONU, a ser realizada entre 3 e 5 de junho, em Roma.

Ao mesmo tempo, continuou a porta-voz, o grupo de trabalho apelou aos Governos para que as políticas que forem adotadas, em temas como exportação de alimentos, não agravem a crise e solicitaram que se permita entregar cargas a instituições humanitárias como o Programa Mundial de Alimentos (PMA) sem impedimentos.

Ban "continua muito preocupado pelo forte aumento do preço dos produtos básicos, que afeta milhões e potencialmente pode atingir outros milhões", declarou Montás.

A porta-voz indicou que o secretário-geral das Nações Unidas entende que a principal causadora da crise é a alta na demanda (de alimentos) acima da oferta existente.

Porém, Ban também sabe que as motivações da crise são complexas e suas conseqüências variadas, acrescentou ela.

Depois desta primeira reunião, Montás adiantou que o coordenador do grupo de trabalho, o sub-secretário-Geral para Assuntos Humanitários, John Holmes, consultará países-membros das Nações Unidas sobre o conteúdo da estratégia concebida pela organização.

O grupo de trabalho é formado por diretores de diversas agências e programas das Nações Unidas, além do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Ban Ki-moon anunciou a criação deste grupo no último dia 29 de abril, em Berna, na Suíça, para responder à crítica situação que enfrentam as populações dos países mais pobres do planeta, atingidas pela alta dos preços de produtos básicos como o milho e o arroz. EFE jju/rb/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG