ONU pede US$ 7 bilhões para 2009, apesar da crise financeira

Genebra, 19 nov (EFE).- A Organização das Nações Unidas (ONU) solicitou hoje US$ 7 bilhões aos países doadores para ajuda humanitária durante 2009, e disse que a atual crise financeira não deve retrair as contribuições.

EFE |

O dinheiro solicitado se distribuirá entre os 30 milhões de pessoas que necessitam de ajuda urgente em 31 países do mundo.

"Nosso objetivo é ajudar as pessoas mais vulneráveis a sobreviver o próximo ano, possibilitar que saiam de suas situações de vulnerabilidade e desespero para outras, de dignidade, segurança a auto-suficiência à qual todos os seres humanos têm direito", afirmou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em um comunicado oficial.

O secretário-geral não escondeu que a crise financeira global "espalhou o temor de que possa haver uma queda do financiamento humanitário para 2009. Apelo aos Estados-membros para que isso não ocorra", ressaltou.

Em 2008, a chamada global também foi de US$ 7 bilhões, dos quais a ONU obteve apenas 67% - US$ 4,7 bilhões.

O montante total para 2009 se dividirá em 12 chamadas consolidadas para os países e regiões que enfrentam crises mais severas.

Esta lista é composta por Sudão (US$ 2,189 bilhões), Somália (US$ 919 milhões), República Democrática do Congo (US$ 831 milhões), Zimbábue (US$ 550 milhões), Iraque e países vizinhos (US$ 547 milhões), Territórios Palestinos (US$ 462 milhões), Quênia (US$ 390 milhões), Chade (US$ 389 milhões), África Ocidental (US$ 361 milhões), Uganda (US$ 225 milhões), República Centro-Africana (US$ 116 milhões) e Costa do Marfim (US$ 36 milhões).

O secretário-geral ainda lembrou aos países que necessitam da ajuda que não é nenhuma vergonha aceitá-la, por isso chamou "à seriedade e à responsabilidade para pedi-la quando necessitarem e a aceitá-la quando for oferecida". EFE mh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG