A ONU pediu nesta quarta-feira à comunidade internacional US$ 550 milhões para fornecer ajuda humanitária ao Zimbábue, onde mais de quatro milhões de pessoas estão em situação desesperadora devido à falta de alimentos.

"Apelamos à generosidade dos doadores para enfrentar esta grave situação", destacou a responsável-adjunta do Escritório de Coordenação de Ajuda Humanitária (Ocha) da ONU, Catherine Braggs, que especificou que, desses recursos, 60% serão destinados à compra de alimentos.

O Ocha soma-se assim às preocupações de outras agências das Nações Unidas com a situação humanitária dos zimbabuanos, que poderia piorar ainda mais nos próximos meses caso não recebam ajuda imediata.

Braggs ressaltou que a crise humanitária no Zimbábue atinge principalmente a alimentação, mas também a educação e a saúde, e concretamente se referiu ao surto de cólera que já afeta nove mil pessoas e que causou 366 mortes.

Muitas comunidades, acrescentou, não podem ter acesso à água potável pela falta de produtos para seu tratamento, por isso a ONU considerou urgente fornecer aos zimbabuanos água e recursos de saúde.

Acrescenta-se a isso, segundo a responsável do Ocha, as dificuldades enfrentadas pelas agências humanitárias para desenvolver suas atividades no país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.