ONU pede US$ 543 milhões para ajudar refugiados do Paquistão

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou um apelo por US$ 543 milhões para fornecer ajuda humanitária a mais de 1,6 milhão de pessoas que tiveram que abandonar suas casas por causa dos combates entre tropas do Paquistão e o Talebã no noroeste do país. A ONU disse que o êxodo, que qualificou como extraordinário está causando muito sofrimento.

BBC Brasil |

Dezenas de milhares de pessoas permanecem em campos de refugiados ao sul da principal zona de combates no Vale de Swat.

O Exército do Paquistão iniciou uma ofensiva contra o Talebã no dia 2 de maio, depois do fracasso de um acordo de paz, e os militantes começaram a ampliar sua área de influência.

O comandante militar americano, Almirante Michael Mullen, advertiu que a concentração de tropas americanas no Afeganistão pode fazer com que os militantes do Talebã penetrem mais fundo no território paquistanês, desestabilizando o país.

'Apoio generoso'
Para Martin Mogwanja, coordenador de ações humanitárias da ONU, "a escala deste deslocamento (de pessoas) é extraordinária em termos de tamanho e velocidade e causa grande sofrimento."
"Nós estamos pedindo um apoio generoso da comunidade internacional."
A ONU informou que está trabalhando com as autoridades para "garantir que ajuda às pessoas o mais rápido possível".

Na quinta-feira, o primeiro-ministro do Paquistão, Yusuf Raza Gilani, presidiu uma conferência de doadores na capital do país, Islamabad, onde várias nações, inclusive os Estados Unidos, prometeram contribuir com um total de US$ 224 milhões para iniciativas humanitárias.

"Existe uma necessidade urgente de uma resposta conjunta e abrangente a esta questão, de todos os que estão comprometidos com a luta contra o terrorismo. Precisamos fazer algo concreto e visível", afirmou Gilani.

Em Swat
O Exército do Paquistão informou que cerca de 15 mil integrantes das forças de segurança estão combatendo entre 4 e 5 mil militantes no Vale de Swat, noroeste do país.

Os militares também afirmam que mil militantes e mais de 50 soldados foram mortos nos confrontos.

As informações desta área do Paquistão ainda não foram confirmadas, mas o jornal Dawn informou que os soldados estão avançando para uma ponte importante perto de Mingora, cidade principal de Swat.

Em outra área da Província da Fronteira Noroeste, na noite de quinta-feira, pelo menos quatro pessoas foram mortas e 46 feridas, incluindo 25 integrantes das forças de segurança, quando um caminhão de explosivos explodiu em Jandola, no sul da província.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG