Nações Unidas, 24 jul (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje a Israel que detenha a expansão de assentamentos judaicos em território palestino depois que o Governo israelense anunciou a possibilidade de novas construções na Cisjordânia.

A porta-voz da ONU, Michèle Montas, transmitiu a "profunda preocupação" de Ban com a aprovação inicial dada pelo Ministério da Defesa israelense à ampliação do assentamento de Maskiot.

"O secretário-geral ressaltou em várias ocasiões que a construção ou expansão de assentamentos é contrária à legalidade internacional, assim como ao compromisso de Israel com o Mapa do Caminho e o processo de Annapolis", disse Montas.

Ela acrescentou que o secretário-geral pede ao Governo israelense que atenda aos chamados internacionais e congele toda atividade nos assentamentos, incluindo seu crescimento natural, e desmantele os postos de vigilância construídos desde março de 2001.

A decisão israelense acontece apesar das conversas de paz mantidas com os palestinos e do comprometimento há seis meses com os Estados Unidos de paralisar os planos para a construção de 180 novos imóveis no assentamento.

Ao aceitar o plano de paz do Mapa de Caminho em 2003, Israel também se comprometeu a paralisar a construção nas colônias.

Washington considera os assentamentos como um dos grandes obstáculos ao processo de paz iniciado na cúpula sobre o Oriente Médio, realizada em novembro em Annapolis (Maryland).

Apesar disso, as autoridades israelenses aprovaram nos últimos meses a construção de edificações em Jerusalém Oriental e colônias próximas à cidade, que Israel não considera assentamentos, mas parte da área urbana da cidade santa. EFE jju/rb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.