ONU pede que doadores não abandonem o Haiti

Por Joseph Guyler Delva e Marine Hass PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, prometeu no domingo se empenhar para que o Haiti continue recebendo verbas para a sua reconstrução, depois do devastador terremoto de 12 de janeiro.

Reuters |

Na sua segunda rápida visita ao miserável país caribenho, Ban se esforçou para manter o ímpeto da ajuda destinada aos mais de 1 milhão de desabrigados. Depois de conversar com o presidente René Préval e com dirigentes da operação humanitária internacional, o secretário-geral afirmou que a reação global até agora tem sido "extraordinariamente generosa".

"Raramente na história viu-se tamanha efusão de apoio e encarecida solidariedade", disse ele numa entrevista coletiva ao lado de Préval, antes de visitar um dos acampamentos de sobreviventes mais populosos, na companhia do ator norte-americano Sean Penn.

O governo haitiano estima que até 300 mil pessoas tenham morrido no tremor de magnitude 7 que devastou Porto Príncipe e arredores. Alguns especialistas dizem que essa foi a pior catástrofe natural em tempos modernos.

Ban lembrou que a ONU elevou para 1,4 bilhão de dólares o seu apelo de verbas para o Haiti neste ano, mas que apenas 49 por cento do dinheiro para a reconstrução do país já foi liberado.

"Assegurei ao presidente Préval e aos seus ministros que irei continuar meus melhores esforços para preencher o restante, particularmente para programas subfinanciados, como a recuperação inicial e a agricultura", disse Ban na entrevista coletiva.

Com a aproximação da temporada anual de chuvas, em abril, e da de furacões, em junho, alguns especialistas temem outro desastre humanitário ou até um conflito social, a não ser que centenas de milhares de desabrigados do terremoto recebam abrigo adequado rapidamente.

Penn, que esteve com Ban entre os até 40 mil sobreviventes acampados em um campo de golfe no bairro de Petionville, disse que é importante que o mundo continue atento ao Haiti e às suas vítimas. "Precisamos de tendas, precisamos de verbas", disse o ator, cuja ONG tem atuado no Haiti.

Especialistas em recuperação e desenvolvimento, junto com o governo haitiano, estão preparando um plano de longo prazo para a reconstrução do país, a ser apresentado em uma conferência internacional de doadores em 31 de março. Alguns economistas estimam os prejuízos do terremoto em até 14 bilhões de dólares.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG