ONU pede corredor humanitário para os civis da Ossétia do Sul

Genebra, 10 ago (EFE).- O alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Antonio Guterres, expressou hoje sua preocupação com a grave situação de milhares de civis que estão no meio do fogo cruzado na Ossétia do Sul, para os quais pediu um corredor humanitário.

EFE |

Em comunicado distribuído hoje em Genebra, Guterres disse que os confrontos armados "já causaram centenas de vítimas civis e muitas mais estão em risco".

Por isso, considerou essencial que seja colocado um corredor humanitário que permita transferir os civis e os trabalhadores humanitários que tentam ajudá-los.

"Muitas pessoas precisam de ajuda. É essencial que as agências humanitárias possam chegar onde estão estas pessoas, tanto as afetadas em seus lares como as já deslocadas, e as que estão presas no conflito possam ir a uma área segura", acrescentou.

De acordo com Guterres, "é absolutamente essencial que ambas as partes respeitem os princípios humanitários de proteção e segurança dos civis".

Segundo as autoridades russas, milhares de pessoas fugiram da Ossétia do Sul e se distribuíram por outras partes da Geórgia, assim como outras milhares chegaram à Ossétia do norte, na Rússia. EFE mh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG