Genebra, 6 fev (EFE).- A Rússia deve tomar medidas para proteger os jornalistas e defensores dos direitos humanos, assim como investigar e castigar os culpados pelos últimos assassinatos e ataques a estas pessoas.

Esta é uma das conclusões do Exame Periódico Universal realizado sobre a Rússia no Conselho de Direitos Humanos da ONU, que terminou hoje com uma série de recomendações efetuadas pelos diferentes Estados.

Muitos países insistiram na necessidade de que sejam esclarecidos os assassinatos do advogado e ativista pró direitos humanos Stanislav Markelov e da jornalista Anastasia Baburova.

Também pediram que se garanta a segurança dos jornalistas e se melhore a liberdade de imprensa, e que se responda com rapidez a todas as denúncias de ataques e agressões sofridos tanto pelos profissionais dos meios de comunicação críticos ao Governo, quanto dos defensores dos direitos humanos.

O documento de recomendações também pede que se combata a tortura, com base nas denúncias de que membros das forças de segurança e do Exército russo as usam em centros de detenção do Cáucaso Norte. EFE vh/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.