drogas do estupro - Mundo - iG" /

ONU pede a Governos que combatam drogas do estupro

Viena, 24 fev (EFE).- A Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) lançou uma advertência contra o aumento do uso de drogas que facilitam as agressões sexuais e o roubo das vítimas.

EFE |

No relatório anual que publicou hoje, a Jife, órgão independente dentro do sistema das Nações Unidas, afirma que, apesar dos esforços para pôr fim a essa prática, o uso das chamadas "drogas do estupro" cresce em todo o mundo.

O docmento também destaca que essas "novas substâncias psicoactivas são obtidas com maior facilidade", já que estão sujeitas a um controle internacional "menos rígido".

Segundo a Jife, o fenômeno da "droga do estupro" é bastante novo, mas avança rapidamente, porque os agressores fazem uso de substâncias que não são fiscalizadas.

Para "vencer a resistência das vítimas e tirar proveito delas sem o devido consentimento, roubando pertences ou violentando-as fisicamente", estupradores e ladrões cada vez mais recorrem a drogas da família da benzodiazepina.

O organismo também lembra que o flunitrazepam, que contém benzodiazepina e é comercializado com o nome de Rohypnol, passou a sar usado com tanta frequência em casos de violação que recebeu o nome de "droga do estupro", embora ultimamente seu consumo tenha diminuído bastante em rezão de um controle mais severo.

No entanto, os criminosos recorrem agora a outras substâncias, como o ácido gama-hidroxibutírico (GHB), um psicotrópico que até pouco tempo atrás não era fiscalizado internacionalmente, e a produtos como a quetamina e a gama-butirolactona (GBL), facilmente obtidas em vários países.

A Jife denuncia ainda a maneira inescrupulosa como essas substâncias são ministradas às vítimas: geralmente dissolvidas em alimentos ou bebidas, e em doses elevadas, "prática que leva graves riscos à saúde". EFE rs/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG