Genebra, 19 ago (EFE).- A ONU lembrou hoje os cinco anos da morte de 22 funcionários da organização, incluindo o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, em um atentado contra sua sede em Bagdá, o ataque mais grave sofrido pelas Nações Unidas em toda sua história.

Sérgio Vieira de Mello era então alto comissário da ONU para os Direitos Humanos.

Em uma breve cerimônia na sede da ONU em Genebra, funcionários e familiares das vítimas fizeram um minuto de silêncio.

O diretor-geral das Nações Unidas em Genebra, Serguei Ordzhonikidze, disse que a data de "19 de agosto permanecerá como um dos dias mais obscuros na história da ONU, um dia de tristeza, um dia no qual nossos pensamentos acompanham os sobreviventes e as famílias dos falecidos".

A ONU, acrescentou, "rende tributo à memória das vítimas, prosseguindo seu trabalho no Iraque".

Após o atentado com carro-bomba em 19 de agosto de 2003 contra suas instalações em Bagdá, as Nações Unidas retiraram seu pessoal no Iraque, mas, em 2004, começaram novamente a enviar funcionários.

As atividades que a ONU realiza nesse país abrangem assuntos de segurança, direitos humanos, meio ambiente, trabalho e defesa da mulher. EFE is/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.