ONU investigará acusação dos EUA contra a Síria

A agência nuclear das Nações Unidas disse nesta sexta-feira que investigará as acusações dos Estados Unidos de que a Síria estava construindo um reator nuclear secreto com a ajuda da Coréia do Norte. Autoridades americanas afirmaram que o reator sírio não seria usado para fins pacíficos, após altos funcionários da CIA (serviço de inteligência americano) terem passado as informações em depoimento a integrantes do Congresso americano.

BBC Brasil |

  • Chefe da CIA denuncia nos EUA vínculo nuclear da Coréia do Norte com a Síria
  • Síria insinua que EUA participaram de ataque israelense a território sírio
  • AIEA investiga acusação dos EUA sobre reator nuclear da Síria

  • O governo sírio negou as acusações americanas e as classificou de "ridículas".

    O local em que suposto o reator estaria localizado foi destruído por um ataque aéreo israelense em setembro de 2007. Mas, segundo a CIA, ele foi reconstruído e poderia estar funcionando em questão de meses.

    A Síria sempre negou estar desenvolvendo um programa nuclear.

    A Coréia do Norte também negou que estivesse transferindo tecnologia nuclear para a Síria.

    Após as revelações da CIA, a Casa Branca disse que a Síria deveria "abrir o jogo" sobre seu programa nuclear secreto.

    Seriedade

    O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed El-Baradei, disse ter sido informado pelos Estados Unidos sobre as acusações contra a Síria.

    "A agência vai tratar essa informação com a seriedade que merece e investigará a veracidade da informação", disse ele.

    Mas El-Baradei também criticou os Estados Unidos por não fornecerem as informações à AIEA mais prontamente e disse que Israel deveria ter dado aos inspetores da ONU a chance de investigar o suposto reator antes de bombardear o local.

    A Síria alega que o local bombardeado por Israel no dia 6 de setembro do ano passado era uma instalação militar sem uso cuja construção havia sido interrompida pouco antes do ataque aéreo.

    Vídeo

    Na sua apresentação perante o Congresso, os representantes da CIA mostraram imagens de vídeo que supostamente provam que norte-coreanos estariam trabalhando nas instalações do reator sírio.

    Uma das imagens mostra dois homens lado a lado, que seriam, segundo a CIA, um alto dirigente do programa nuclear norte-coreano e o chefe da comissão de energia atômica da Síria.

    As imagens, que teriam sido obtidas por Israel, mostrariam fortes semelhanças entre a instalação síria e o reator nuclear de Yongbyon - apesar de não estar operante.

    A divulgação das informações pela CIA coincide com o fim de uma reunião de dois dias entre autoridades dos Estados Unidos e da Coréia do Norte para discutir o suposto não-cumprimento, por parte dos norte-coreanos, de termos um acordo sobre a suspensão de seu programa nuclear.

    No acordo, fechado em fevereiro de 2007, o governo da Coréia do Norte concordou em fechar seu principal reator nuclear e divulgar informações sobre seu programa nuclear até dezembro de 2007.

    No entanto, o governo perdeu o prazo e, enquanto toma providências para fechar o reator de Yongbyon, ainda não forneceu uma declaração de suas atividades nucleares à comunidade internacional.

    Saiba mais sobre: CIA


      Leia tudo sobre: síria

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG