ONU estima 112.250 mortos e 194 mil feridos no Haiti

Genebra, 25 jan (EFE).- O terremoto que devastou o Haiti no dia 12 de janeiro provocou 112.

EFE |

250 mortos e 194 mil feridos, segundo estimativas oficiais divulgadas hoje pela ONU, que ressaltou a necessidade imediata de alimentos prontos para o consumo.

Os últimos dados calculam que 235 mil desabrigados deixaram Porto Príncipe desde o terremoto, graças ao transporte gratuito que as autoridades puseram à disposição.

O maior fluxo de deslocados pela catástrofe se registrou no departamento de Artibonite, aonde chegaram 62 mil pessoas. Por isso, são necessários lonas e material de cobertura para a instalação de acampamentos que possam receber essas vítimas.

Enquanto isso, entre 800 mil e 1 milhão de pessoas estão vivendo em lugares cobertos temporariamente na capital, segundo o Escritório de Ajuda Humanitária das Nações Unidas (OCHA).

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, destacou que não se observam surtos de doenças contagiosas, como a cólera, o sarampo ou a rubéola.

O organismo sanitário também indicou que o número de pessoas que precisam ser operadas cirurgicamente está diminuindo e que há a necessidade de material de cirurgia ortopédica e de sangue.

Em termos logísticos, o aeroporto de Porto Príncipe está recebendo uma média de 130 a 150 aviões diários, "um fluxo de aeronaves que não deve diminuir tão cedo", afirmou a OCHA.

Os aviões de carga que não transportam artigos de urgência requeridos nos próximos dois a três dias são desviados ao aeroporto de Santo Domingo, na República Dominicana, que também começou a ter problemas de saturação, indicou a entidade.

Pelo menos 21 brasileiros morreram na tragédia, sendo 18 militares e três civis, entre eles a médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti. EFE is/pq

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG