ONU diz que situação humanitária na Somália continua se deteriorando

Genebra, 14 out (EFE).- A situação humanitária na Somália continua se deteriorando gravemente e o espaço para a ajuda de organizações e ONGs se reduziu drasticamente pela falta de segurança, advertiu hoje a ONU.

EFE |

Duas organizações de ajuda humanitária, a Care e a International Medical Corps, tiveram de suspender suas atividades esta semana no centro e no sul da Somália por causa da baixa segurança e das ameaças contra seus agentes por milícias islâmicas.

"Apenas a suspensão das atividades da Care, entre elas a distribuição de alimentos e projetos de saneamento e água, afetarão pelo menos um milhão de pessoas que se beneficiavam", declarou hoje Elizabeth Byrs, porta-voz do escritório das Nações Unidas para Assuntos Humanitários (Ocha).

Na última semana, as organizações de ajuda foram vítimas de diversos incidentes de violência.

Dois funcionários humanitários da ONU ficaram feridos em Marka após uma explosão que atingiu o veículo em que estavam e que também matou o motorista. Já no povoado de Belet Weyne um idoso que trabalhava para uma ONG foi assassinado.

"Neste momento, 3,2 milhões de somalis (43% da população) necessitam de ajuda urgente", ressaltou Byrs.

Em meio à grande insegurança que reina no país, 23 trabalhadores humanitários foram seqüestrados desde janeiro, 12 dos quais continuam presos, entre eles dois agentes de saúde capturados em 22 de setembro. EFE vh/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG