ONU diz que segurança no Afeganistão pode piorar em 2009

Por Louis Charbonneau NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A segurança no Afeganistão se deteriorou e pode piorar neste ano por causa da recuperação da insurgência do Taliban, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, em relatório dirigido ao Conselho de Segurança e divulgado na sexta-feira

Reuters |

Ele acrescentou, porém, que há razões para otimismo em médio prazo.

"O governo, as forças de segurança e a população do Afeganistão, junto com seus parceiros internacionais, enfrentam um teste crítico em 2009", disse o relatório.

"A segurança continua a se deteriorar. Os resultados do governo e os esforços internacionais de ajuda ficaram aquém das expectativas populares, já que os afegãos sofrem os efeitos da seca e do aumento global nos preços dos alimentos."

A violência no Afeganistão está no seu maior nível desde que forças lideradas pelos EUA derrubaram o regime Taliban, em dezembro de 2001.

O presidente dos EUA, Barack Obama, decidiu enviar 17 mil soldados a mais para o país, a maior parte para o leste e o sul, onde milhares de militares estrangeiros já enfrentam a insurgência islâmica cada vez mais tenaz.

O relatório de Ban disse que o estado de direito no Afeganistão está "insuficientemente institucionalizado" e que os abusos não são levados tão a sério quanto deveriam. Citou também relatos de corrupção desenfreada no governo.

Outro problema é o aumento de mortes civis. O número de civis assassinados subiu 40 por cento no ano passado, atingindo 2.118. A maior parte foi morta por insurgentes, mas 39 por cento foram vítimas das forças regulares locais e estrangeiras, segundo Ban.

"Embora haja muitas razões para acreditar que a segurança no Afeganistão vai piorar em 2009, há também razões para otimismo em médio prazo", disse o relatório de Ban.

"Um emprego judicioso das tropas internacionais adicionais, com sua meta primária sendo a segurança do povo Afeganistão, será um desenrolar bem-vindo", acrescentou ele.

O relatório informa que o aumento de tropas pode também aumentar a quantidade de instrutores para as forças locais de segurança, além de ajudar a dar mais garantia no país durante suas próximas eleições.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG