ONU diz que Peru produziu 36% da cocaína mundial em 2008

Lima, 19 jun (EFE).- Os cultivos da folha de coca no Peru cresceram 4,5% durante 2008, o que significou uma produção potencial de 36% da cocaína do mundo, revelou hoje um relatório do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) apresentado em Lima.

EFE |

O estudo mostra que, durante 2008, foram cultivados 56.100 hectares de folha de coca, contra 53.700 hectares no ano anteriores.

O maior crescimento destes cultivos ocorreu no Vale dos Rios Apurímac e Ene, uma região de selva dominada pelos cartéis do narcotráfico e onde as Forças Armadas combatem os terroristas remanescentes do Sendero Luminoso.

Esta quantidade de folha de coca permite estabelecer, segundo o relatório, uma "produção potencial" de 302 toneladas métricas de cocaína, 4,1% a mais do que as 290 toneladas de 2007.

Assim, se estabeleceu que o Peru foi o responsável por 36% da produção mundial de cocaína em 2008. No ano anterior, esse índice foi de 29%.

O documento acrescentou que a diminuição em 18% na produção de folha de coca na Colômbia "pôs grande pressão sobre os cultivos peruanos".

O estudo também lembra que, em certas regiões do Peru, o cultivo da folha de coca está ligado ao seu uso legal e tradicional, como o consumo em forma de chá ou a sua aplicação medicinal.

O presidente executivo da Comissão Nacional para o Desenvolvimento e Vida sem Drogas peruana (Devida), Rómulo Pizarro, lembrou que existe preocupação pelo aumento destes cultivos em zonas fronteiriças.

Pizarro pediu para que a comunidade internacional retome a colaboração ao Peru já que, segundo ele, "competir com o tráfico de drogas não é fácil. No caso do Peru, movimenta US$ 20 bilhões".

O representante da Devida também afirmou que o consumo de cocaína na América Latina "está crescendo" e deu ênfase ao apoio a programas de cultivos alternativos.

"O narcotráfico torna o pobre mais pobre", enfatizou.

Para Pizarro, o Governo peruano pode derrotar os terroristas que atuam em aliança com o narcotráfico, mas estes cartéis "vão manter seus exércitos".

"É um problema que vai durar muito mais, nosso problema é o narcotráfico", ressaltou.

O relatório preparado pelo UNODC concluiu que o aumento dos cultivos de folha de coca "aparentemente responde a um maior consumo de cocaína na Europa, na América Latina (Brasil, Argentina e Chile) e em novos mercados internacionais". EFE dub/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG