ONU diz que Irã e Síria devem pressionar Hisbolá a depor as armas

Nações Unidas, 30 out (EFE) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, deseja que o Irã e a Síria influenciem o Hisbolá para que o grupo xiita abandone as armas e se torne um partido político, disse hoje o enviado especial da ONU para o Líbano, Terje Roed Larsen.

EFE |

Em discurso no Conselho de Segurança da organização, Larsen disse que as Nações Unidas se preocupam com a possibilidade de que os confrontos de maio entre milicianos xiitas e sunitas tenham "causado, ou acelerado, um processo de rearmamento no Líbano".

Ele destacou que a milícia xiita é a maior dos grupos armados que atuam no país e que "conta com uma forte infra-estrutura paramilitar separada do Estado".

Por isso, continuou o enviado especial, o secretário-geral da ONU pediu ao Hisbolá para se transformar em um partido político, e requisitou a colaboração dos Governos de Síria e Irã, que são próximos à milícia libanesa, para conseguir esse objetivo.

"O secretário-geral pede ao Hisbolá para cumprir todas as resoluções relevantes do Conselho de Segurança, e solicita a todas as partes que mantêm estreitos laços com a guerrilha, em particular Síria e Irã, para apoiar sua mudança para um autêntico partido político", afirmou.

Desarmar os milicianos libaneses e palestinos deve dar início a um processo político que termine no reconhecimento das autoridades como as únicas legitimadas para empregar a força em todo o território nacional.

Larsen também mencionou em seu discurso os avanços conseguidos na estabilização do país nos últimos seis meses, como a escolha de um presidente, a abertura de relações com a Síria e as eleições legislativas. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG