Tamanho do texto

Buenos Aires, 24 jul (EFE).- A ONU disse hoje, em Buenos Aires, que a Colômbia é o único país da América Latina onde atualmente ainda são registrados casos de desaparecimentos forçados, embora nenhum continente esteja livre desta situação.

"Na Colômbia, os casos de desaparecimentos forçados continuam. Só excepcionalmente acontecem casos em outros países da América Latina, mas não como na Colômbia", afirmou o mexicano Santiago Corcuera Cabezut, presidente do Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários das Nações Unidas.

O especialista disse ainda que o grupo que lidera não concorda com a definição de desaparecimento forçado dada pela legislação colombiana, já que esta "retira a responsabilidade do Estado" nestes casos.

Durante uma entrevista coletiva, Corcuera Cabezut declarou que o grupo da ONU não deverá retornar à Colômbia nos próximos meses, uma vez uma missão sua esteve no país em 2005.

O titular do grupo também disse que seus especialistas precisam ser convidados pelo Governo de um país para realizarem missões e avaliarem uma situação de desaparecimento forçado de pessoas.

"Os convites abertos não servem para nós. Precisamos de datas específicas", afirmou Corcuera Cabezut. EFE ms/rb/sc