ONU diz que 600 mil deslocados voltaram para casa no Paquistão

Nova Délhi, 30 jul (EFE).- A ONU afirmou hoje que 600 mil dos 2,2 milhões de deslocados por causa das ofensivas do Exército paquistanês contra a insurgência talibã voltaram para casa no conflituoso noroeste do país.

EFE |

Em entrevista coletiva, uma porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), Stéphanie Bunker, acrescentou que, desde 3 de julho, mais 1,5 mil famílias se instalaram no grande campo de deslocados de Khalozai, de onde muitos outros civis estão saindo para retornar a suas casas, segundo o canal "Geo TV".

Embora a porta-voz não tenha precisado o número de pessoas que voltaram ao Vale de Swat e distritos limites, onde as forças de segurança lançaram uma grande ofensiva no final de abril, o Exército afirmou hoje ter distribuído, por enquanto, 231,601 mil vales de compra entre os deslocados que retornaram à região.

Em seu comunicado diário sobre a situação em Malakand - que engloba estes distritos -, o comando militar informou da detenção nas últimas 24 horas de 15 fundamentalistas e da morte de uma pessoa durante o ataque talibã à residência de um funcionário em Swat.

As autoridades deram sinal verde semanas atrás na volta dos deslocados à região, apesar de continuarem acontecendo frequentes combates em Swat e Dir.

O chefe do Exército paquistanês, Ahsfaq Pervez Kiyani, se reuniu hoje com o primeiro-ministro Yousuf Raza Gillani para discutir sobre a situação de segurança no país e a "bem-sucedida operação do Exército" em Malakand, segundo um comunicado oficial.

O Exército deve realizar outra grande operação na região tribal do Waziristão do Sul, reduto do líder dos talibãs paquistaneses, Baitullah Mehsud. EFE amp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG