ONU diz que 1 bi de pessoas sofrem com fome

MÉXICO - O relator especial da ONU sobre o Direito à Alimentação, Olivier de Schutter, disse hoje, no México, que a fome aumentou significativamente em todo o mundo nos últimos dois anos e que já existem mais de 1 bilhão de pessoas que sofrem dessa mazela e 3 bilhões de desnutridos.

EFE |

Esta situação é "alarmante" e os Estados devem implementar "programas eficientes" que façam frente a esta problemática que se intensifica cada vez mais, com fatores como o crescimento demográfico, a crise alimentícia e a mudança climática, disse o alto funcionário das Nações Unidas.

Durante seu discurso em um fórum organizado por diversas ONGs sobre o direito à alimentação, De Schutter reconheceu que, embora os países menos desenvolvidos sejam sempre os mais vulneráveis, agora "a crise econômica está piorando mais a situação" e estendendo os atingidos por ela.

O relator prevê que, nos próximos anos, os países terão "menos recursos para poder desenvolver os programas de que precisam para enfrentar o desafio" tanto da fome quanto da desnutrição.

Criticou que, em muitos países, se fale nos Legislativos da fome sem concretizar iniciativas que sejam eficazes na busca de soluções.

"Isso não é suficiente. Temos que nos mobilizar contra a fome e começar a identificar os setores vulneráveis para que sejam atendidos, porque é um direito que está sendo violado tanto quanto se fossem os próprios direitos humanos", acrescentou De Schutter.

Por fim, lamentou diante dos mais de 500 presentes ao fórum que, nos últimos anos, a produção de alimentos seja orientada sobretudo à exportação, não à garantia do consumo, o que pressiona para cima os preços.

Para De Schutter, é importante que cada país concentre algumas de suas políticas em combater a desnutrição e a fome, com o propósito de garantir, em 2050, a segurança alimentar no mundo.

Leia mais sobre fome

    Leia tudo sobre: fomeonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG