Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

ONU divulga relatório sobre corrupção na Ásia

Jacarta, 12 jun (EFE).- O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou hoje um relatório que afirma que as instituições públicas mais corruptas na Ásia são Justiça, Fazenda e Polícia, e ressaltou que com estas práticas prejudicam a economia e os setores mais pobres da população da região.

EFE |

O relatório, apresentado em Jacarta, diz que os países em desenvolvimento devem transformar a transparência de seus organismos em prioridade política.

"Da mesma maneira que a maioria dos países está desenhando políticas para eliminar a pobreza, também deveria idealizar programas para enfrentar a corrupção", diz o relatório intitulado "Enfrentando a corrupção, transformando vidas".

Este é o primeiro texto das Nações Unidas que aborda de forma completa o problema da corrupção na Ásia, estabelecendo um vínculo direto entre a transparência das instituições públicas de um país e a melhora geral da qualidade de vida de seus cidadãos.

"A corrupção é um dos maiores impedimentos ao desenvolvimento" na Ásia, assegurou na apresentação deste documento o secretário-geral assistente e diretor do Escritório de Políticas de Desenvolvimento do Pnud, Olav Kjorven.

Segundo o texto de 250 páginas, a corrupção "debilita as instituições nacionais", cria "serviços sociais desiguais", fomenta "as injustiças nos tribunais", além de promover a "ineficácia econômica" e "a exploração do meio ambiente".

O relatório também fala do que chama de "corrupção em pequena escala", que acontece mais na Ásia-Pacífico e afeta um maior número de pessoas em sua vida diária.

O Pnud pede ainda esforços conjuntos em nível internacional para combater a corrupção, "estabelecer padrões de qualidade", "reforçar o conjunto de funcionários", "fomentar os códigos de conduta no setor privado", "estabelecer o direito à informação", aumentar as possibilidades "de novas tecnologias" e "apoiar a participação cidadã". EFE jpm/rr

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG