ONU denuncia situação dos povos indígenas na Colômbia

O escritório colombiano do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos denunciou nesta quinta-feira a situação dramática em que se encontram as comunidades indígenas deste país, em comunicado publicado por ocasião do Dia internacional dos Povos Indígenas.

AFP |

"Os assassinatos de índios por grupos armados foram multiplicados por dois no primeiro semestre deste ano" em relação ao mesmo período do ano passado, afirmou o órgão da ONU.

De acordo com a Organização Nacional Indígena (Onic), que representa os 1,3 milhão de índios da Colômbia, 63 foram assassinados desde o início do ano no país.

Os indígenas, que não participam do conflito colombiano, se encontram sob o fogo cruzado do exército, das guerrilhas de esquerda e dos paramilitares de direita.

A ONU acusou a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) de ser "a principal responsável por estes crimes", e também de ser o grupo armado que coloca o maior número de minas e recruta o maior número de crianças.

A organização também recebeu informações sobre incursões não autorizadas do exército em reservas indígenas e a utilização de alguns índios para missões de inteligência, o que acarreta "um alto risco de represálias" contra estas comunidades.

A ONU finalizou seu comunicado com um pedido aos protagonistas do conflito colombiano para que respeitem os direitos dos indígenas.

cop/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG