horrível prática dos desaparecimentos forçados - Mundo - iG" /

ONU denuncia aumento da horrível prática dos desaparecimentos forçados

Genebra, 27 ago (EFE).- Os desaparecimentos forçados são uma horrível prática cada vez mais frequente no mundo, alertou o grupo de trabalho do Conselho de Direitos Humanos da ONU que lida com esse fenômeno.

EFE |

"É de vital importância que haja uma maior atenção para o assunto dos desaparecimentos involuntários, já que em certas regiões do mundo não existem informações sobre isso", declarou hoje o presidente deste grupo de trabalho, Jeremy Sarkin, por ocasião do Dia Internacional dos Desaparecidos, 30 de agosto.

Sarkin destacou que, apesar disso, o grupo lidou com cerca de 50 mil casos do gênero desde sua criação, em 1980.

Os desaparecimentos forçados "afetam muitas pessoas no mundo todo e têm um impacto especial em mulheres e crianças", lembrou.

"Quando as mulheres são vítimas dos desaparecimentos, são especialmente vulneráveis a sofrer violência sexual ou de outro tipo", acrescentou o grupo em seu relatório.

Quanto às crianças, seu rapto "ou a perda de um de seus pais em um desaparecimento forçado são sérias violações de seus direitos".

Os especialistas expressaram sua preocupação com algumas medidas adotadas por Governos na luta contra o terrorismo e sublinham que "as detenções realizadas em operações militares e as detenções arbitrárias também são consideradas como desaparecimentos forçados".

Também são preocupantes "os desaparecimentos em curto prazo em certas partes do mundo", assim como as detenções seguidas de execuções extrajudiciais por parte de grupos ou indivíduos que trabalham a mando de um Governo e que rejeitam dar informações sobre o destino dessas pessoas.

O grupo de trabalho voltou a pedir aos Estados que ainda não tenham assinado ou ratificado a convenção internacional para a proteção contra os desaparecimentos forçados a fazê-lo o mais rápido possível.

Além disso, ressalta que "a cooperação entre Estados é indispensável para descobrir o destino ou o paradeiro das pessoas desaparecidas no mundo todo". EFE mrm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG