ONU deixa de entregar ajuda a Gaza depois da apreensão do Hamas

A Agência das Nações Unidas para a Ajuda aos Refugiados Palestinos (UNRWA) anunciou nesta sexta-feira a suspensão de suas importações de ajuda na Faixa de Gaza depois que centenas de toneladas de alimentos foram confiscadas pelo governo do Hamas.

Redação com agências internacionais |

Na quarta-feira, o diretor de Assuntos Humanitários das Nações Unidas, John Holmes, já havia condenado o confisco da ajuda humanitária pelos homens do Hamas na Faixa de Gaza, e exigido a restituição imediata dos mantimentos.

"As Nações Unidas não podem aceitar, sob nenhuma circunstância, o desvio da ajuda humanitária por uma das partes do conflito", declarou Holmes através de um comunicado.


ONU suspende distribuição de ajuda humanitária em Gaza / AP

Holmes advertiu que tal ato pode comprometer o abastecimento da ajuda, num momento em que a ONU e seus parceiros recorrem a todos os meios possíveis para satisfazer as necessidades humanitárias mais básicas da população de Gaza.

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA) denunciou na quarta-feira que a polícia do grupo radical islâmico Hamas confiscou a ajuda humanitária armazenada em um de seus centros de distribuição em Gaza.

O Hamas, que controla Gaza desde 2007, justificou a medida afirmando que cabia ao grupo distribuir a ajuda para todos os palestinos, e não apenas para os refugiados.

De acordo com a UNRWA, na terça-feira os policiais do Hamas confiscaram "mais de 3.500 mantas e 406 pacotes de produtos alimentícios em um centro de distribuição do campo de Chati", em Gaza.

Os mantimentos foram tomados pelo grupo radical depois que os funcionários da UNRWA se recusaram a entregá-los ao ministério de Assuntos Sociais do governo do Hamas, explicou a agência em um comunicado.

Foguetes a partir de Gaza

Nesta sexta-feira, ativistas palestinos dispararam um foguete a partir da Faixa de Gaza contra o sul de Israel, sem provocar vítimas ou danos materiais, anunciou uma fonte militar.

O foguete, de curto alcance, foi lançado do setor de Bait Lahiya, norte do território controlado pelo grupo radical Hamas, e explodiu em um terreno baldio na região de Shaar Hanegev.

O novo disparo aconteceu apesar do cessar-fogo, em vigor desde 18 de janeiro, que acabou com a ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza, que terminou com a morte de 1.330 palestinos.

Leia também:

Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG