ONU critica ataque contra pessoal do Acnur no Paquistão

Genebra, 2 fev (EFE).- O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), António Guterres, expressou hoje sua profunda comoção e tristeza depois do ataque perpetrado contra o pessoal de sua administração no Paquistão.

EFE |

Em comunicado, Guterres lamentou o ataque perpetrado hoje na cidade paquistanesa de Quetta, no qual um funcionário do Acnur morreu e outro foi sequestrado por um grupo de homens armados.

O responsável do Acnur enviou seus "mais sinceros pêsames à família e aos amigos de Syed Hashem, que deixa uma mulher, e quatro filhos".

O motorista, de nacionalidade paquistanesa e que trabalhava para a ONU há 18 anos, foi baleado, e morreu no hospital de Quetta.

Além disso, Guterres manifestou sua solidariedade com a família de Jonh Solecki, chefe do escritório auxiliar do Acnur em Quetta há dois anos, que foi sequestrado, e acrescentou que a ONU "fará o possível para conseguir sua libertação".

"A missão do Acnur em mais de 110 países de todo o mundo, incluindo o Paquistão, é exclusivamente a de atenuar o sofrimento dos refugiados, pessoas deslocadas e civis inocentes, de maneira totalmente imparcial e em uma perspectiva humanitária", lembrou Guterres. EFE mrm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG