ONU convoca cientistas para revisar relatório do aquecimento global

Um dos grupos científicos de maior credibilidade no mundo concordou hoje em rever os erros nos relatórios do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), o órgão da ONU que cuida da questão do aquecimento global.

AP |

Vamos entrar nesse processo sem conclusões pré-concebidas, disse, Robbert Dijkgraaf, físico holandês que co-lidera o grupo, o Conselho Interacadêmico, que reúne as academias nacionais de ciência de 15 países.

O Secretário Geral da ONU Ban Ki-moon afirmou haver um pequeno número de erros nas 3000 páginas do último relatório de dados do clima divulgado pelo IPCC, de 2007. Mas estes erros, que incluem projeções de retraimento das geleiras dos Himalaias, colocaram em risco a imagem da instituição, e foram utilizados por grupos que se dizem céticos em relação ao aquecimento global para se opor ao esforço da ONU de costurar neste ano um acordo legal internacional a respeito do tema.

O acordo de Copenhague, proposto por Barack Obama nos momentos finais da conferência na capital dinamarquesa em dezembro passado tem o apoio de economias poluidoras como Estados Unidos, China e Índia. Mas não conseguiu realizar seu objetivo de ser um instrumento com força de lei para controlar a emissão de dióxido de carbono e outros gases causadores do efeito estufa.

Dijkgraaf disse que seu grupo aceitou o pedido da ONU e vai revisar o trabalho do Painel, mas que não vai analisar absolutamente todos os dados, e sim se se focar em como a instituição faz seu trabalho, em vista dos erros que surgiram recentemente.  Entre as questões estão se o IPCC deveria usar literatura não científica, como os governos revisam o material do IPCC e até como o Painel se comunica com o público. O órgão vai escolher um grupo de peritos  e entregará sua revisão independente no fim de agosto. A ideia é envolver especialistas de fora e cientistas que já trabalharam com o IPCC, mas estão distantes o suficiente para serem independentes, explicou Dijkgraaf. 

Nenhum erro apareceu nos relatórios mais antigos e mais conhecidos, que afirmam que o aquecimento da atmosfera e o aumento do nível dos mares é provocado pelo homem e está num processo irreversível. Mas foram descobertos vários erros no segundo dos quatro documentos produzidos em 2007, causados principalmente pelo uso de relatórios governamentais ou de grupos ambientais em vez de pesquisas científicas.

Mas Ban Ki-moon diminui o impacto destes problemas: Nada que foi revelado recentemente pela mídia altera o consenso científico em torno do aquecimento global, disse. E nem diminui a importância do trabalho do IPCC.

Leia mais sobre: Aquecimento Global

    Leia tudo sobre: mudança climática

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG