ONU confirma nacionalidade de mais vítimas do terremoto

Nações Unidas, 14 jan (EFE).- A ONU confirmou hoje que, entre os capacetes azuis mortos no terremoto que castigou o Haiti, estão um cidadão da Argentina, um de Burkina Fasso e dois da República do Níger.

EFE |

Mais cedo, o Exército brasileiro havia informado que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do tremor.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, confirmou que, por enquanto, são 22 os capacetes azuis mortos no terremoto do Haiti e que outras 150 pessoas, entre civis e militares, ainda são consideradas desaparecidas.

Segundo o escritório do porta-voz das Nações Unidas, Martin Nesirky, todas as vítimas estavam em Porto Príncipe e as identidades de alguns serão preservadas por enquanto.

Nesirky disse que há quatro policiais mortos e nove feridos, e outros 18 militares mortos, enquanto assinalou que se trabalha para poder divulgar em breve a nacionalidade de todos eles.

O tremor no Haiti, de 7 graus na escala Richter, aconteceu às 19h53 (Brasília) de terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Ontem, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

Além dos militares, a brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, morreu no tremor. EFE dvg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG