NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - As Nações Unidas (ONU) solicitaram quase 108 milhões de dólares nesta quarta-feira para ajudar até 800 mil haitianos, após uma série de tormentas que devastaram o país caribenho nas últimas três semanas. O Haiti foi atingido por quatro tempestades desde meados de agosto, incluindo a tempestade tropical Fay e o furacão Gustav. Centenas de pessoas morreram, e as tempestades destruíram casas e plantações em um país onde mais da metade da população já sobrevive com um dólar por dia.

Até 800 mil pessoas -- quase um décimo da população -- estão com 'forte necessidade' de ajuda, informou o escritório da ONU para coordenação de assuntos humanitários (OCHA, na sigla em inglês).

A intenção é que o dinheiro que as Nações Unidas buscam com seus países membros dure por seis meses. Cerca de um terço da quantia é para comida e o restante para abrigos, agricultura, saúde, água, saneamento, educação, e outras necessidades.

Antes da apelação da ONU ser anunciada, os Estados Unidos disseram que dariam 10 milhões de dólares para o auxílio do desastre para o Haiti.

'Nossa maior prioridade é ajudar a entregar os suprimentos necessários para comunidades que tiveram seus acessos por terra cortados', disse a porta-voz da Casa Branca Dana Perino.

A ajuda irá incluir suprimentos de emergência além de auxílio com custos de danos, transporte e logística, disse Perino à Reuters.

O diretor da Ocha, John Holmes, disse que as tempestades haviam atingido uma 'ampla faixa do país e a população já estava lidando com os efeitos da pobreza e das altas nos preços. Como o impacto econômico no longo prazo também deve ser grave, o apoio para os esforços de ajuda também é crucial'.

O número de mortos com os furacões no Haiti é de 328, mas fontes da polícia e autoridades locais dizem que até 700 podem ter morrido.

(Reportagem de Patrick Worsnip)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.