Nações Unidas, 16 dez (EFE) - O Conselho de Segurança da ONU afirmou hoje que o atual processo de paz entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP) é a única saída possível para o conflito que atinge o Oriente Médio há 60 anos.


O principal órgão adotou por 14 votos a favor, e com a única abstenção da Líbia, uma resolução apresentada pelos Estados Unidos e pela Rússia que qualifica o processo iniciado há um ano na cidade americana de Annapolis de "irreversível".

A resolução é a primeira em quatro anos sobre o conflito entre palestinos e israelenses que se consegue aprovar no seio do Conselho de Segurança, que costuma se mostrar dividido em assuntos relativos ao Oriente Médio.

O propósito da resolução impulsionada por Washington, com o apoio de Moscou, é mostrar o firme apoio da comunidade internacional ao processo de paz perante a incerteza causada pelas próximas eleições israelenses, a mudança de administração nos EUA e a ameaça que a oposição do movimento islâmico Hamas representa às negociações.

O texto do Conselho de Segurança se une à declaração adotada na segunda-feira pelo Quarteto para o Oriente Médio (EUA, Rússia, União Européia e ONU), na qual qualificaram as atuais negociações de "irreversíveis".

"Não há substituto para o processo de Annapolis, nem sua estagnação é uma opção", afirmou a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em discurso perante o Conselho de Segurança.

Rice advertiu que as negociações têm que se dirigir, ao mesmo tempo, a garantir a segurança de Israel e melhorar as condições de vida dos palestinos nos territórios ocupados.

Rice foi à reunião do conselho junto ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, aos chanceleres da Rússia, Serguei Lavrov, do Reino Unido, David Miliband, e ao vice-ministro de Assuntos Exteriores chinês, He Yafei.

Lavrov advertiu que as negociações entre as partes devem seguir sem que se produzam mais atos terroristas, mais atividade nos assentamentos judaicos e se prolongue o fechamento de Gaza.

"A reunião de hoje demonstra o apoio que se segue prestando às partes na busca da paz", apontou.

O representante da ANP perante a ONU, Riyad Mansour, avaliou a resolução como uma demonstração de que o Conselho de Segurança supervisionará o processo de Annapolis.

"Espero que tenhamos aprendido as lições de não ter chegado a um acordo em 2008 e que se retirem os obstáculos para poder alcançá-lo em 2009", frisou.

A resolução aprovada pelo Conselho de Segurança afirma a "irreversibilidade" das negociações bilaterais e apóia o princípio de que no acordo final entre as duas partes todas as disputas bilaterais pendentes devem ser resolvidas.

Leia mais sobre Oriente Médio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.