ONU: alta dos alimentos aumenta inflação para os pobres em 3% na América Latina

As famílias pobres da América Latina viram seus gastos aumentarem 3% além da inflação geral de seus respectivos países, devido aos aumentos dos preços internacionais dos alimentos, apontou nesta quinta-feira a ONU.

AFP |

"Na América Latina, a chamada 'inflação dos pobres' é de 3%", informou a agência da ONU no México, que definiu o termo como "a inflação sobreposta à inflação geral, que afeta as famílias que utilizam mais da metade de sua renda para comprar alimentos".

Em um comunicado, no qual foi anunciada a integração de um Grupo de Trabalho sobre a Crise Alimentar no México, as várias agências da ONU no país alertaram que "a crise alimentar põe em risco os progressos alcançados nos últimos 10 anos de redução da pobreza na região".

Com isso, a realização do "primeiro Objetivo de Desenvolvimento do Milênio, de reduzir a pobreza pela metade até 2015, também se vê ameaçada", acrescentou.

A Organização das Nações Unidas elogiou o compromisso assumido pelo governo mexicano de aumentar a produção agropecuária.

A ONU lembrou ainda que o ano de 2008 "presenciou uma aceleração da inflação alimentar mundial", e que em março deste ano o trigo custava 140% mais que um ano atrás, o arroz subiu 10% em fevereiro e mais 10% em março, e que, de maneira geral, "os alimentos subiram 86% em 36 meses".

pap/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG