ONU alerta que oferta de alimentos pode cair, gerando carestia

Por Martin Roberts MADRI (Reuters) - A recente queda nos preços dos alimentos pode desestimular o plantio, o que reduziria a oferta para um mundo cada vez mais faminto, disse nesta segunda-feira o diretor da FAO (órgão da ONU para alimentação e agricultura), Jacques Diouf.

Reuters |

Em entrevista concedida durante um evento sobre segurança alimentar em Madri, Diouf afirmou que muitos produtores venderam suas safras no segundo semestre de 2008, quando os preços estavam particularmente baixos.

"Essa gente não terá incentivo para reinvestir, e alguns até mesmo terão prejuízos", disse ele. "Isso levará a uma queda significativa na safra de 2009/10, e um aumento mais agudo nos preços do que em 2007/08, a não ser que o aumento seja atenuado pelo efeito da recessão econômica sobre a renda."

A conferência de Madri foi patrocinada pela ONU e por outras organizações internacionais, como o Banco Mundial.

Um relatório da entidade britânica Chatham House, divulgado na segunda-feira, também avaliou que as quedas recentes nos preços dos alimentos são um intervalo temporário em uma tendência de alta no médio e longo prazo.

"Há um risco real de uma 'quebra alimentar' em algum ponto no futuro, o que seria especialmente duro para países dependentes das importações e sobre os pobres de todos os lugares", disse o relatório.

Esse texto afirma que a mudança climática, a escassez de água e a competição por terras dificultará o crescimento da oferta, que será necessário para atender a um aumento da demanda estimado em 50 por cento até 2030. A Chatham House propõe mais investimentos na pequena agricultura.

"Embora os argumentos para o apoio a pequenos produtores às vezes sejam rejeitados como sendo baseados num apego romântico à agricultura camponesa, as evidências mostram que, com o marco político adequado, a pequena agricultura pode ser uma rota viável para fora da pobreza."

A FAO estima que quase 1 bilhão de pessoas sofram de desnutrição, número que subiu em 40 milhões em 2008.

Diouf pediu ao presidente dos EUA, Barack Obama, que convoque uma cúpula destinada a buscar meios para investir 30 bilhões de dólares por ano na agricultura, o que segundo ele erradicaria a fome até 2025.

"Se houver vontade política, devemos poder mobilizar estes 30 bilhões de dólares, já que isso é apenas 8 por cento do apoio à agricultura nos países da OCDE (grupo de países desenvolvidos)", disse ele.

(Reportagem adicional de Nigel Hunt em Londres)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG