ONU alerta que Afeganistão pode ter superado o Marrocos no cultivo de maconha

(Embargada até 14h de Brasília) Viena, 26 jun (EFE).- A ONU advertiu hoje que uma das tendências mais preocupantes no mundo das drogas é que o Afeganistão, o maior produtor de ópio do planeta, se transformou também em um grande plantador de maconha, até o ponto de poder deslocar o Marrocos como o primeiro do planeta.

EFE |

Esta é a conclusão do Relatório Mundial sobre as Drogas 2008, elaborado pelo Escritório das Nações Unidas contra as Drogas e o Crime (UNODC), que, no entanto, afirma que a produção de resina de maconha (haxixe) caiu no mundo todo, das 6.600 toneladas de 2005 para as 6.000 de 2006.

"Em termos de cultivo, vimos um grande aumento no Afeganistão, até alcançar os 70.000 hectares. Estes números estão muito perto dos dados que temos do cultivo no Marrocos em 2005", disse à Agência Efe Thomas Pietschmann, um dos autores do relatório.

Esse ano é o último do qual a ONU tem dados sobre o Marrocos, por isso a comparação é difícil, mas foi observada uma grande redução do cultivo a respeito de anos anteriores, disse.

"A tendência é que o Afeganistão está no caminho de se transformar no primeiro e Marrocos de perder esse posto, mas não podemos saber se já passou", disse Pietschmann.

A UNODC indica que mais que duplicou o cultivo da maconha no Afeganistão, dos 30.000 hectares em 2005 para 70.000 em 2007.

Enquanto isso, no Marrocos, diminuiu a superfície de cultivo nos últimos anos: de um número máximo de 134.000 hectares em 2003 para 76.400 hectares em 2005.

Mesmo assim, o especialista deixou claro que "o Afeganistão poderia ter superado o Marrocos em termos de extensão do cultivo, mas não de produção (de resina de maconha). Nisso o Marrocos ainda é o primeiro".

No entanto, o diretor do UNODC, Antonio Maria Costa, afirmou em comunicado divulgado hoje, em Viena, que "são observadas tendências preocupantes: o Afeganistão se transformou em um grande produtor de resina de maconha e supera, talvez, o Marrocos".

A maconha é a droga ilegal mais consumida do mundo. Segundo a ONU, cerca de 166 milhões de pessoas a consomem, o que representa 3,9% da população mundial.

O Afeganistão é o principal produtor de ópio do mundo, com 193.000 hectares, que representam 92% do total, e seu cultivo se concentra em cinco províncias do sul sob controle talibã. EFE ll/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG