ONU alerta que 86 milhões sofrem dores sem ter tratamento

Viena, 19 fev (EFE).- Há 86 milhões de pessoas no mundo todo que sofrem dores, a grande maioria em países em desenvolvimento, sem ter acesso a tratamentos paliativos por meio de analgésicos para aliviar o sofrimento.

EFE |

Assim afirmou hoje a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife), órgão das Nações Unidas com sede em Viena responsável por zelar pelo cumprimento dos tratados internacionais contra as drogas.

Em seu relatório sobre 2008, afirma que "cerca de 90% dos remédios fiscalizados (para fins paliativos) são consumidos na América do Norte e na Europa".

Apesar de o consumo destes analgésicos para o tratamento da dor ter duplicado na última década, só aumentou nos países da América do Norte e da Europa.

A Jife, a partir de dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), ressalta que há cerca de 86 milhões de pessoas no mundo nessa situação, mas alertou que esses números têm "uma ampla margem de erro".

A Junta afirma que as razões para estas carências se devem a que, em vários países, "nas faculdades de medicina, são repassados poucos conhecimentos, no melhor dos casos, em matéria de cuidados paliativos. Existem restrições estritas e uma burocracia excessiva que dissuadem os médicos a receitar opiáceos".

Em 2007, nos países ricos da Europa e da América do Norte, foi consumida a imensa maioria dos opiáceos utilizados para minimizar a dor.

Segundo os cálculos da Jife, 80% da população mundial que vive nos países em desenvolvimento consomem apenas 6% da morfina, enquanto o resto é utilizado nos países desenvolvidos. EFE ll/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG