Cartum, 30 nov (EFE).- A ONU demonstrou hoje sua preocupação com o aumento da posse de armas de fogo nos campos de refugiados da região sudanesa de Darfur, que há cinco anos vive um conflito.

Em entrevista coletiva em Cartum, após uma viagem por Darfur e o sul do Sudão, o vice-secretário-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários e coordenador de Ajuda de Emergência, John Holmes, pediu ainda uma mudança na atmosfera política que se vive dentro dos campos de refugiados.

Nesse sentido, afirmou que o "processo de politização sistemática que se leva a cabo dentro desses campos" dificulta o retorno dos deslocados a suas regiões de origem.

Holmes se referia às atividades das partes envolvidas no conflito: as autoridades e os grupos rebeldes.

O diplomata disse ainda que o aumento das armas foi detectado nos locais de amparada a refugiados de Darfur estabelecidos no vizinho Chade.

O funcionário da ONU também declarou que encorajou o Governo chadiano a intervir para pôr fim a essa situação.

Por outro lado, Holmes denunciou que, desde o começo do ano, 11 funcionários humanitários morreram (em ataques) e 260 veículos de organizações de ajuda internacional foram roubados pelos insurgentes em Darfur.

Apesar isso, o diplomata demonstrou sua "grande satisfação" pela colaboração que o Governo sudanês tem dado para facilitar o envio de ajuda humanitária aos refugiados de Darfur. EFE az/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.