ONU afirma que Etiópia vive crise alimentícia

Genebra, 23 set (EFE).- A Etiópia está em claro risco de crise de fome devido à combinação de forte seca e alta internacional do preço dos alimentos, revelou hoje a ONU.

EFE |

"Com 9,4 milhões de pessoas precisando de alimentos, nossa operação na Etiópia supera agora a do Sudão", onde se considerava que existia a pior crise alimentícia, disse a porta-voz do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Emilia Casella.

Para ajudar essas pessoas, a ONU pede fundos internacionais, já que precisa de 275 mil toneladas de alimentos, o que avaliou em US$ 224 milhões.

O PMA requer esse financiamento para continuar com seus programas de ajuda na Etiópia até o fim de 2008.

Segundo dados da ONU, 12,5 milhões etíopes sofrem com as conseqüências da atual seca.

Com os fundos disponíveis agora, o PMA distribui alimentos entre 6,4 milhões de etíopes, enquanto no Sudão, onde a crise humanitária de Darfur concentrou boa parte dos esforços internacionais nos últimos anos, 5,6 milhões de habitantes recebem auxílio alimentício.

"Esta é a pior crise na Etiópia desde a seca de 1994", declarou Casella. EFE is/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG