Genebra, 9 mai (EFE).- O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), António Guterres, advertiu hoje que se o programa não receber novos fundos para sua operação no Iraque terá que reduzir parte de suas atividades e até suspender alguns programas destinados a beneficiar milhares de vítimas da violência nesse país.

O déficit de financiamento é de US$ 127 milhões (82,2 milhões de euros), especificou.

"Se não recebermos recursos para o resto do ano não poderemos ajudar a milhares de pessoas, entre refugiados e deslocados internos", destacou o alto comissário em comunicado de imprensa.

Guterres alertou, nesse sentido, que sem apoio internacional para sua organização, a crise humanitária no Iraque poderia piorar.

No princípio do ano, o Acnur lançou um pedido de fundos no valor de US$ 261 milhões, para prestar assistência a uma parte dos 4,7 milhões de iraquianos que foram forçados pela situação de violência a abandonar seus lares e a se mudarem para outras províncias, ou sair do país.

No entanto, até o momento, esse organismo só arrecadou US$ 134 milhões.

A situação, de acordo com a agência da ONU, se agrava por conta dos altos preços de certos produtos agrícolas básicos (principalmente cereais) no mercado internacional, assim como do petróleo.

O Acnur registrou mais de 280 mil refugiados nos países vizinhos, prestou atendimento médico a 250 mil e possibilitou o acesso à escola a 72 mil menores desse grupo.

Mais de dois milhões de iraquianos buscaram refúgio na Síria e Jordânia. EFE is/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.