deslocamento em massa de civis por combates no Paquistão - Mundo - iG" /

ONU adverte de deslocamento em massa de civis por combates no Paquistão

Genebra, 11 mai (EFE).- O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) advertiu hoje que está acontecendo um deslocamento em massa no noroeste do Paquistão, onde se estendem os combates entre o Exército e insurgentes talibãs.

EFE |

Os civis aproveitam quando se levanta parcialmente o toque de recolher vigente para se dirigir a áreas mais seguras.

Em poucos dias, entre 150 mil e 200 mil pessoas chegaram a zonas consideradas mais seguras, como a Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), e outras 300 mil se dirigem à mesma ou estão prontas para partir, segundo o organismo humanitário.

Estes civis provêm principalmente dos distritos do baixo Dir, Buner e Swat, e se somam a outro meio milhão de deslocados que fugiram no último ano das hostilidades na NWFP e que já estão registrados como refugiados pelas autoridades locais e o Acnur.

"Estes novos fluxos de deslocados estão provocando uma pressão adicional nos recursos disponíveis para esta emergência", declarou em Genebra o porta-voz da agência da ONU, Ron Redmond.

Explicou que os últimos reportes recebidos indicam que as rotas de Swat e Buner estão abarrotadas de todo tipo de veículos que transportam famílias que fogem dos combates e que só levam um pouco de roupa.

Estas vítimas do conflito relataram aos voluntários as dificuldades de conseguir um meio de locomoção para chegar a zonas mais seguras e que tiveram que pagar tarifas exorbitantes (de várias centenas de dólares) para alugar algum veículo.

O Acnur instalou 12 centros para registrar os novos refugiados em três distritos (Mardan, Swabi e Charsada), mas considera que não é suficiente e planeja abrir 75 mais, assim como centros humanitários para as pessoas que permaneçam fora dos campos de refugiados.

No total, a agência das Nações Unidas abriu e administra 11 acampamentos que abrigam 93 mil pessoas, enquanto outras centenas de milhares são amparadas por familiares, amigos ou alugam um quarto.

EFE is/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG