Blogueiros foram detidos em abril sob acusação de atos que ameaçam segurança do Estado. Imprensa acompanha julgamento pela 1ª vez

Quatro organizações de defesa dos direitos humanos pediram a libertação de cinco militantes da democracia que tiveram o processo retomado neste domingo nos Emirados Árabes Unidos, pela primeira vez na presença de jornalistas.

"O processo de cinco ativistas detidos há seis meses por terem insultado publicamente o presidente dos Emirados e outros responsáveis é injusto", afirmam as organizações em um comunicado conjunto.

A Human Rights Watch (HRW), a Anistia Internacional, a rede Arabic Network for Human Rights Information (ANHRI) e a Front Line Defenders afirmam que o processo está repleto de irregularidades. Os cinco militantes julgados desde 14 de junho são Ahmed Mansur, engenheiro e blogueiro, membro do comitê consultivo do departamento de Oriente Médio da HRW e da rede ANHRI, Nasser Ahmad ben Gaith, professor e defensor de uma reforma política, além dos blogueiros militantes Fahd Salem Dalak, Ahmed Abdel Jaleq Ahmed e Hassan Ali al Jamis.

Eles foram detidos em abril sob a acusação de atos que ameaçavam a segurança do Estado e afetavam a ordem pública. Também foram acusados de fazer oposição ao sistema de governo e de insultar o presidente, o vice-presidente e o príncipe herdeiro de Abu Dhabi. Os cinco negam as acusações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.