ONGs expulsas podem voltar ao Sudão com nome diferente, diz ONU

Nações Unidas, 11 jun (EFE).- As ONGs expulsas em março pelo presidente do Sudão, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, foram autorizadas pelo país para voltar a trabalhar na região sob novos nomes e logos, disse hoje o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, John Holmes.

EFE |

Ele explicou que quatro das 13 organizações que tinham sido expulsas em 4 de março já foram aceitas para retomar as atividades na região, e que as demais também têm a possibilidade de voltar sob novos nomes.

"É uma medida prática para progredir", expressou Holmes, que acrescentou que "nos últimos meses houve uma cooperação muito mais efetiva e positiva" com o Governo de Cartum.

Os passos que foram dados são "bem-vindos, mas não teriam sido necessários se essa decisão não tivesse sido tomada no começo", afirmou.

Cartum cancelou há quatro meses as permissões de 13 organizações humanitárias internacionais e duas nacionais, às quais acusou de promover a ordem de detenção que o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu contra Bashir por suposta responsabilidade em crimes de guerra e de lesa-humanidade cometidos em Darfur.

"Ainda achamos que a decisão foi injustificada e que a melhor solução seria revertê-la, mas progredimos em criar uma atmosfera mais positiva e chegamos a alguns acordos muito úteis", expressou Holmes.

No entanto, disse, "agora a chave é assegurar que esses acordos sejam respeitados, implementados na prática e mantidos no tempo".

Até o momento também se progrediu na concessão de vistos para os trabalhadores de ONGs, a restauração conjunta do ambiente operacional e a criação de um comitê para resolver os problemas da zona. EFE emm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG