ONG protesta em Paris contra julgamento por transmissão do HIV

Paris, 1 dez (EFE).- Um grupo de militantes da organização Act Up, de luta contra a Aids, manifestou-se hoje na entrada do Palácio de Justiça de Paris contra a penalização da transmissão do vírus, no mesmo dia em que se realiza a luta internacional contra a doença e uma mulher é julgada por infectar conscientemente o marido.

EFE |

"Aids: nem culpados nem vítimas", era a inscrição que levava o cartaz estendido nas escadas do Palácio, coincidindo com o 20º Dia Mundial de Luta Contra a Aids.

O porta-voz da organização, Emmanuel Chateau, declarou à imprensa que "a penalização da transmissão não serve na prevenção contra a doença", enquanto ressaltou que processos deste tipo se multiplicam tanto na França quanto nos demais países.

"Colocar os soropositivo na prisão não é uma solução", acrescentou o porta-voz da Act Up, organização que convoca uma manifestação esta tarde na Praça da Bastilha com o lema "Aids: prevenir, não castigar".

Também hoje, começa na cidade francesa de Orleans o julgamento contra uma mulher de 38 anos acusada de haver transmitido conscientemente o vírus da Aids ao marido dela, pelo que pode pegas até 15 anos de prisão.

O marido, militar de profissão, soube que era soropositivo em 1995, ao ser hospitalizado por malária, enquanto o casal esperava uma criança. Sua mulher sabia que era portadora do vírus desde 1991.

Dez anos depois, o marido decidiu iniciar o processo de divórcio de sua ex-mulher e apresentar uma denúncia contra ela pela transmissão consciente do vírus, alegando que ela conhecia os riscos aos que se expunham e que tinham tratado do assunto ao decidir seguir adiante com a gravidez. EFE jaf/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG